Caro ou barato ?

Caro ou barato ?

Por Rafael Arcanjo | Em 09.05.07 | Categorias: Política, Tecnologia, Web

Logo do programa Computador para Todos do Governo FederalO Governo tenta desde o princípio do projeto Computador Para Todos, que muitos chamam de PC PT em alusão à sigla do partido, incluir também um plano de conexão à internet com preços acessíveis para os que adquiram a máquina popular. Inclusive, o nome do programa no princípio era PC Conectado e devido a falta de acordo com as empresas de telecom para que fosse feito um plano/pacote de conexão, mudou-se o nome.

Pois bem, de acordo com a ComputerWorld, o governo quer implantar preço reduzido até a metade do ano. Boa notícia, não ? Parafraseando o Bruno Alves, Im My Not So Humble Opinion, NÃO, não é uma boa notícia.

Internet discada é uma draga, porém é fonte dos acessos da grande maioria dos brasileiros. Porque não desonerar este acesso ?

Ao pensar neste post, ia fazer um cálculo bobo para provar que está caro este acesso, porém, pesquisando sobre o assunto, vi que o Thiago Rodrigues do NerdGames já o fez, sendo assim, transcrevo uma parte do post onde ele explicita o cálculo.

10 horas por R$ 7,50 é igual à R$ 0,75 a hora de acesso. (7,50 / 10 = 0,75)
ou
15 horas por R$ 7,50 é igual à R$ 0,50 a hora de acesso. (7,50 / 15 = 0,50)

Pelo menos aqui no estado de São Paulo a Telefônica oferece o serviço de internet ilimitada, não sei se em outros estados há serviços similares, onde o usuário pode acessar a internet em qualquer horário e paga apenas uma tarifa única mensal de R$ 29,90.

Calculem comigo novamente:

30 dias por mês (em média) é igual à 720 horas ( 30 * 24 = 720)
720 horas por R$ 29,90 é igual à R$ 0,0415 a hora de acesso ( 29,90 / 720 = 0,0415)

Um outro exemplo é que pago R$ 75 por mês por um plano de acesso a internet wireless de 512kbps, fazendo as contas acima cheguei a conclusão que pago 10 centavos a hora.

Fonte : As aparências enganam – Governo quer criar um acordo para baratear acesso a web

Realmente é barato assim como parece ? Em uma primeira visão, é louvável a atitude do Governo de promover a inclusão digital, porém, se é para fazer, que faça direito.

Mesmo que o plano do Governo seja como se apresenta na matéria da ComputerWorld, contabilizando estas 10 hrs apenas no horário onde não se enquadra aquele plano de tarifa reduzida, onde se paga apenas um pulso por ligação (não é IMPULSO, ok?), ainda está caro. É quase o preço de uma conexão na lanhouse, onde você navega com uma conexão dedicada e uma velocidade melhor. Para recordar, o período de tarifas reduzidas para ligações é todos os dias úteis de 0:00 até as 6:00 e aos finais de semana, de 14:00 de sábado até as 6:00 de segunda-feira. Feriado é o mesmo plano do final de semana.

Em tempo, aqui em Minas Gerais também tem esta opção do acesso discado ilimitado por um valor fixo, provido pela Oi Telemar. Os valores dependem do plano escolhido, que englobam também serviços de voz (afinal, uma vendinha casada não faz mal a ninguém, não é mesmo?). Basta acessar a página da Oi acesso discado e verificar as tarifas.

[tags] conexão discada, governo, computador popular, pc para todos, oi, telemar, pulso [/tags]


Apaixonado por tecnologia, Cruzeirense e Nerd. Trabalha com TI há mais de 12 anos, porém ficou fascinado com computadores bem mais cedo quando viu o que aparentemente era um 286 rodando um joguinho de corrida via disquete de 5 1/4.

« »

406 Comentários

  1. Thássius Veloso

    O cálculo não é tão bom assim porque ninguém fica ligado à banda larga 24h/7. Mas, mesmo assim, a assinatura do pacote ilimitado sai bem mais barato.

    Essas horas mensais seriam interessantes para quem não faz uso tão intenso de computador, uma vez que para a população menos favorecida gastar 30 reais e não usar tudo o que é oferecido não adianta muito; seria desperdício. Melhor gastar 10$ e ter um uso proveitoso.

  2. Rafael Arcanjo

    Thássius,

    Mesmo que a pessoa não fique 24/7, sai mais barato. Não tem o que comparar, principalmente pela qualidade.

    Sobre não usar, é relativo. Creio que, se feita uma pesquisa entre os usuários que compram o computador para todos, a maioria responderia que utilizaria ele para internet por mais de 10 horas, porque muitos dos que compram são familias com filhos, e você sabe que hoje, cada vez mais esta molecada tem ficado presa na internet. Se é produtivo ou não o acesso, é caso pra outro post.

    Abraços

  3. Sergio Nascimento

    Eu fico me perguntando: Quando é que vamos ter disponível WiMax?

    Enquanto as agências degladiam com as grandes em telecomunicação, nós usuários ficamos aguardando tecnologias de ponta, que poderiam baratear o custo das conexões fixas. Além disso pode prover acesso a regiões carentes em investimento que hoje não são atendidas nem por telefone (caso de roubo de serviços — os famosos gatos)

    Quem sabe alguem tem uma luz e aprende a fazer uma licitação justa e que de as empresas oportunidades de ganho e ao mesmo tempo, incentivem a concorrência, proporcionando melhores serviços para os clientes.

  4. Neto

    Assim como o Sérgio, eu também gostaria de Wimax por aqui, mas voltando ao assunto da burocracia (se não cabe outro nome) brasileira, todos sabemos que essa tecnologia ainda ficará distante por aqui.

    Se é cara ou barata (respondendo sua pergunta), pra mim é cara.
    Eu acho que inclusão digital nesse país devia fornecer internet gratuita para a população (cadê o exemplo na educação social?).

    Em verdade, essa nova proposta governamental me parece mais aquele famoso ditado em que “o barato sai caro”.

    Bom para as teles.

  5. Thiago Rodrigues

    Programinha engana bobo.
    Acredito que internet discada deveria ser considerado serviço básico e ser oferecido gratuitamente a todo o brasileiro.
    E não adianta dizer que não é viável, porque é viável (pelo menos para maioria dos municípios).
    Exemplo disto são algumas cidades daqui do interior de São Paulo onde as prefeituras oferecem internet wireless gratuitamente.
    Exemplo: Cosmorama, Sudi Menuci, Paraiso, Pontes Gestal, Suzanopolis.
    Conheço um morador de Cosmorama e o mesmo me afirmou que para ter acesso a internet basta apenas estar em dia com o IPTU(imposto) da cidade e ter o equipamento (Placa e antena) para utilizar gratuitamente a internet em uma velocidade de 64kbps (Não é muita coisa, mas é Grátis).
    Seguindo esta linha, acredito que acesso a 56kbps deveria ser gratuito e caso o cidadão necessite maior velocidade, contrate um plano pago das telecoms.
    Bom, mas isto é apenas um sonho. E o que aconteceu com aquele projeto daquela deputada propondo a gratuidade da internet?
    Abraço

  6. Rafael Arcanjo

    Pessoal,

    Wireless pode ser viável, mas WiMax é um sonho distante. Lembro que trabalhava em um provedor de internet que provia soluções de internet discada e wireless, no começo desta tecnologia e foi um auê em torno da mesma. Porém, pelo alto preço dos equipamentos na época, a adoção era proibitiva. Hoje não estou por dentro dos preços, mas acho que nem tão caro assim é para o caso do governo aproveitar seu programa de inclusão digital para incluir de forma correta, com internet. Porém, não sei se é vontade dos mesmos. Uma pena, porque se fosse feito um projeto com pessoas da área de TI, pessoas sérias, não teríamos este cenário que temos hoje, com cidades que tem escolas que inclusive não tem computador, quiçá internet. Este é um outro ponto, escolas que tem o computador e não tem pessoas para dar aula, mas são outros quinhentos.

    Também concordo que a internet deveria ser gratuita. E também proponho que fosse diferente o esquema do governo: Internet grátis e cursos ensinando o povo a usar o computador a 7,50 por mês. Isto é necessário, não é só “dar” um computador pra pessoa e dizer “Agora se vira”.

    Porém, independente do governo que estivermos, creio que se não existirem pessoas DA ÁREA encabeçando os projetos de TI deste país, nada vai andar como deveria… uma pena.

  7. Alexandre Fugita

    Esse valor de 7,50 engloba aqueles horários de tarifa reduzida e que não são descontados das 10 horas mensais. Ou seja, internet de madrugada e de sábado depois das 14h e domingo o tempo todo não conta.

    O wi-max, além de ser um sonho distante não é vai ser muito diferente da internet via cabo que temos hoje. Mas ao invés de vir por cabo virá pelo ar. É a última milha. Talvez reduza o custo de infra-estrutura mas o preço final ao consumidor certamente não cairá.

Deixe uma resposta

Utilize o formulário abaixo para deixar uma resposta no Arcanjo.org. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios.

Você deve estar logado para postar um comentário.