Interoperabilidade, Microsoft e Porta25

Interoperabilidade, Microsoft e Porta25

Porta 25 da Microsoft quer promover interoperabilidade entre sistemas

Por Rafael Arcanjo | Em 19.06.08 | Categorias: Microsoft, Tecnologia

Quem trabalha com sistemas de informação já se deu conta da importância que a troca de informação entre softwares e sistemas tem hoje dentro das empresas, pela heterogeneidade que estas apresentam com diversas soluções de diversos fornecedores.

O ideal é que todos estes sistemas se comuniquem e troquem informações, mas nem sempre acontece. Este conceito da troca de informações é chamado de interoperabilidade.

De acordo com o IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), o conceito de Interoperabilidade pode ser definido como: “Habilidade de dois ou mais sistemas de trocar informações e usar estas informações que foram trocadas”.

Não sei com vocês, mas sempre que eu penso no termo troca de informações, lembro da internet. E creio que seja realmente os dos melhores exemplos para definirmos interoperabilidade: Troca de informações, baseado em um padrão aberto que todos conhecem e conseguem desenvolver aplicações partindo deste conhecimento público, independente da plataforma.

Para se chegar neste nível de interoperabilidade foram anos de discussões entre os órgãos competentes, as empresas e várias comunidades de desenvolvedores.

A introdução é para falar do portal criado pela Microsoft para o Brasil, chamado Porta 25, que talvez vários já conheçam. Com o projeto do Porta 25, iniciado nos Estados Unidos e já presente na França e Alemanha, a empresa pretende fazer seu laboratório de Software livre interagir com esta comunidade de Open Source e estudar qual a necessidade deste público, colaborando e desenvolvendo algumas estratégias baseados no padrão aberto e na interoperabilidade de seus sistemas com outros, como por exemplo em soluções como a integração do Windows Server com SSH, um protocolo aberto de comunicação segura, e apoio ao SourceForge, relatados no blog.

O Portal / Blog conta também com um PodCast, ambos tocados pelo Roberto Prado, gerente de estratégias da Microsoft e responsável pelas ações relativas a OpenSource pela empresa na Terra Brasilis.

Na minha opinião, esta aproximação da Microsoft é mais que válida, visto que como analista e consultor, usuário de vários sistemas e softwares nas empresas que trabalho, quero que sempre os mesmos consigam interagir com cada vez mais compatibilidade e acessibilidade.

Roberto já deu sinais que a estratégia é realmente estar mais presente no mundo OpenSource, visto que já li algumas entrevistas dele em portais como BrLinux e UnderLinux, explicando e dando sua visão e colaboração.

Este projeto pode abrir portas para os dois lados, onde o diálogo e a troca de idéias de forma aberta podem fazer com que todos saiam ganhando, principalmente os usuários de sistemas e empresas, que são consumidoras destas soluções.

* Este artigo é de caráter publieditorial

Tags: , , ,


Apaixonado por tecnologia, Cruzeirense e Nerd. Trabalha com TI há mais de 12 anos, porém ficou fascinado com computadores bem mais cedo quando viu o que aparentemente era um 286 rodando um joguinho de corrida via disquete de 5 1/4.

« »

1 Comentário

  1. Fabiano Alves

    Fala Arcanjo,

    Lendo esse post hoje me fez lembrar meus tempos na Computação… realmente essa interoperabilidade é fundamental… vamos ver no que vai dar… tomara volte bastante para internet. Tudo que faço hoje na publicidade do um jeio de voltar à internet. Até mesmo a empresa que abri, funcionará somente na internet.

    Abraçãoo…
    Saudaçoes Celestes.

Deixe uma resposta

Utilize o formulário abaixo para deixar uma resposta no Arcanjo.org. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios.

Você deve estar logado para postar um comentário.