A sujeira das eleições

A sujeira das eleições

Por Rafael Arcanjo | Em 03.10.06 | Categorias: Pessoal, Política

A eleição é um momento único na vida de um cidadão. É a hora exerce seu papel democrático, seu direito de optar por quem ele quer ver comandando seu país, representando-o nas decisões que o país precisa tomar.

Só que é muito triste para um cidadão ver o que acontece depois que os mesmos são eleitos. E não é apenas depois, até antes esta sujeira aparece. E no mais literal sentido da palavra.

Quando eu digo sujeira, além do sentido que se associa a política (corrupção, roubalheiras, mensalões e privatizações obscuras), tem também a sujeira da cidade, do local de votação, das vias públicas e de tudo em que se encaixe um pequeno (as vezes enorme) pedaço de papel com uma foto sorridente do candidato e seu número estampado.

Só para ilustrar, vou citar alguns fatos que ocorreram comigo neste primeiro turno de eleição.

Sábado a noite, dia 30 de Setembro, um dia antes das eleições. Retornando para casa, passo em frente a um colégio estadual que seria abrigo de algumas seções eleitorais. Mais atrás, percebi 3 rapazes de boa aparência e que possívelmente fazem parte de classe média-média ou média-alta, aparentando 18 ~ 22 anos, que caminhavam uns 4 passos mais a frente carregando cada um uma sacola cheia (até então não conseguia ver de que se tratava o conteúdo).

Aproximando-se do muro que cerca a quadra esportiva, um deles saltou e já caiu praticamente emcima do mesmo. Foi quando ele deixou cair a tal sacola e eu pude ver o conteúdo: SANTINHOS de candidatos à eleição.

Só aí pude perceber o óbvio motivo do porque de tais MARGINAIS (crime previsto no art. 5.º, XI, CF) invadirem a escola: espalhar estes panfletos pelas portas das seções eleitorais e por todo o recinto, tentando fisgar alguns “eleitores” (entre aspas mesmo, porque eleitor que é eleitor já decidiu seu voto porque PESQUISOU sobre os candidatos, não é?).

Pensei em ligar para a polícia, mas até chegarem ao local os jovens bandidos já teriam feito seu papel. Desisti, mas continuei a pensar sobre o assunto enquanto o ônibus não vinha.

Eis que, no máximo 2 minutos depois, passa na minha frente uma Kombi com fotos estampadas de 2 candidatos, um federal e outro estadual (que não vou citar os nomes) fazendo praticamente a mesma coisa que os 3 jovens: distribuindo panfletos. Só que estes não se deram ao trabalho de invadir o local, já que tinham outras locais para “visitar”. Então, de dentro do veículo, um homem moreno colocou a cabeça e os braços para fora e atirou bolos de panfletos para cima, deixando-os cobrir a rua papel branco.

Um verdadeiro chute no estômago não só do cidadão que tem que engolir este absurdo, mas também de quem, na segunda feira, teria que limpar toda a bagunça: os limpadores de rua.

Achando já ter visto grosseria e falsidade suficiente para a noite, peguei o ônibus e fui para casa.

Quase chegando, vejo o estado da rua que dá acesso a outra escola que faria parte das eleições: TOTALMENTE IMUNDA, com aproximadamente uns 200 ~ 300 metros de asfalto coberto por panfletos.
Além disto, uma moto passando com duas mulheres atirando papel como se fosse uma metralhadora.

Tentando ver os candidatos que mandaram executar estas ações de “marketing”, percebi que praticamente TODOS os rostos estavam em papeis no chão. UMA VERGONHA.

Se um candidato não se compromete com a limpeza de sua cidade antes mesmo da eleição, imagina quando ganhar ?

E olha que foram proibidos propagandas em outdoor, pregar panfletos em postes, dentre outras restrições.

O que deixa mais triste o povo é ver que no dia 29/10 vai ser exatamente do mesmo jeito.

UM DESRESPEITO !

Para Informações úteis para as eleições (coeficiente eleitoral, votos brancos, nulos e outras), clique aqui.

[tags] eleicoes, 2006, lula, alckmin, deputado, senador, governador, outdoor, sujeira, policia, coeficiente eleitoral, votos [/tags]


Apaixonado por tecnologia, Cruzeirense e Nerd. Trabalha com TI há mais de 12 anos, porém ficou fascinado com computadores bem mais cedo quando viu o que aparentemente era um 286 rodando um joguinho de corrida via disquete de 5 1/4.

« »

793 Comentários

  1. Alexandre Fugita

    Todo ano qdo vou votar tem aquele mar de papel no chão… e desta vez não foi diferente. Sério mesmo, fiquei imaginando no caminho da minha seção eleitoral qdo jogam tudo isso pelas ruas… No dia anterior tudo estava limpo… Acho que passaram a madrugada de caminhão fazendo sujeira pela cidade… assim como aí… e de que adianta? Nada… ruim pra cidade que fica imunda e sujeita a inundações e ruim para quem vai limpar tudo aquilo (e que não são as carinhas que aparecem impressas)…

Deixe uma resposta

Utilize o formulário abaixo para deixar uma resposta no Arcanjo.org. Os campos marcados com asterisco são obrigatórios.

Você deve estar logado para postar um comentário.